Sala Porta-Jazz

JULHO / JULY

julho_3 WEB
.
Rua de João das Regras 305 – à Praça da República
.
Em parceria com a agenda cultural da Junta da União de Freguesias do Centro Histórico do Porto e com o apoio da Porto Lazer.
Todos os Sábados, haverá o melhor jazz nacional e internacional em sessões ao ar livre com bebidas fresquinhas à sombra do abacateiro! Como Sempre aos Sábados às 19:00 e um segundo set às 22:00.
.
7 Julho
19:00; 22:00
The Nada
.
the-nada.jpg
.
João Guimarães – Sax e Teclado
Eurico Costa – Guitarra eléctrica
Filipe Louro – Baixo eléctrico
José Marrucho – Bateria
.
Este projecto tem a sua génese na assunção de claras empatias musicais entre os seus membros, tendo sido a vinda de Simon Jermyn a Portugal um factor decisivo para a sua consolidação.
.
Sendo o jazz o universo comum entre os seus membros, a premissa de “the Nada” é, desde o início, a da procura de novos cenários e influências de onde a improvisação também possa brotar, bem como da aplicação de conceitos composicionais provenientes de outras correntes musicais. A exploração sonora com recurso a efeitos electrónicos e a sua coexistência com sons acústicos alavanca, muitas vezes, o potencial pictórico e amplia a diversidade paisagística deste grupo.
.
Assim, sente-se a presença de elementos característicos da música electrónica, da música tradicional, do rock, da música improvisada e da composição erudita contemporânea, bem como do jazz.
.
Em suma, o projecto pretende-se uma plataforma onde possam co-existir um “beat” de influência electrónica com uma melodia de índole tradicional, ou onde de uma explosão “rockeira” desponte um solo subsidiário do “freejazz”. A improvisação e a expressão artística de carácter vincado são elementos agregadores fortes.
.
14 Julho
19:00; 22:00
Demian Cabuad – Astah
.
unnamed (2)
.
João pedro brandão – Sax e Flauta
Xan Campos – Piano
Demian cabaud – Contrabaixo
Iago fernandez – Bateria
Marcos Cavaleiro – Bateria
.
Este projecto é o sexto e mais recente álbum do Cabaud , “Astah”.
É uma experiência intensa e fresca, já que as duas baterias trazem uma grande quantidade de possibilidades, tanto em dinâmicas quanto em direções musicais.
.
As composições têm sempre aquele fator de abertura que caracteriza a música do Cabaud, deixando espaço para que cada elemento expresse o seu ponto de vista e deixe impressa a sua própria personalidade. O resultado é sempre fresco e nunca se repete .
.
A essência da música está enraizada no jazz tradicional , com muitos momentos livres / improvisados e um “cheirinho” de música tradicional da Argentina ……………………………………………………….
Terça-Feira, 17 Julho
Sara Serpa Trio
17:00 Masterclass**
21:30 Concerto
.
unnamed
.
Sara Serpa – Voz/ Composição
Ingrid Laubrock – Caxofones
Demian Cabaud – Contrabaixo
.
**Inscrição para a masterclass através do email producao.portajazz@gmail.com
.
Natural de Lisboa, Sara Serpa é uma cantora, compositor e improvisadora que através da sua práctica e performance explora uma abordagem única instrumental no seu estilo vocal. Reconhecida internacionalmente pelo seu canto sem palavras, desde que se estabeleceu em Nova York, em 2008, Serpa tem desenvolvido e apresentado o seu trabalho nos campos do jazz, música improvisada e experimental.
.
Descrita pela revista JazzTimes como “uma virtuosa nas paisagens vocais sem palavras”  e pelo New York Times como “uma cantora de pose elegante e visão cosmopolita” Serpa começou a sua carreira gravando e actuando com expoentes da cena jazzística como o pianista nomeado para Grammy’s Awards Danilo Perez e o recipiente dos prémios Guggenheim e MacArthur Fellow Ran Blake.
.
A sua música requintada inspira-se em variadas formas de literatura, cinema, artes visuais, natureza, e história. Como líder, Sara Serpa produziu e editou oito álbums, o último sendo Close Up (2018),  destacado pelo Público como “testemunho maior da sua afirmação na cena jazzística de hoje” . Serpa tem colaborado com um número extenso de músicos, entre eles  André Matos, John Zorn, Mycale Vocal 4tet, Guillermo Klein, Andreia Pinto-Correia, Derek Bermel, Kris Davis, Aya Nishina, Nicole Mitchell.
.
Para além deste trio, Serpa lidera um trio com Mark Turner e Zeena Parkins, numa performance interdisciplinar que combina imagem e música ao vivo intitulada Recognition,e o City Fragments Ensemble (3 vozes + 3 instrumentos) com Sofia Rei, Aubrey Johnson, André Matos, Erik Friedlander e Tyshawn Sorey.
………………………………………………………
21 Julho
19:00; 22:00
Susana Santos Silva – Impermanence
.
unnamed (3)
.
Susana Santos Silva  – Composições / Trompete
João Pedro Brandão –  Saxofone alto / Flauta
Hugo Raro –  Piano
Filipe Louro  – Contrabaixo
José Marrucho –  Bateria
.
Na música, como na vida, a impermanência das coisas é a única verdade que alimenta o desenvolvimento e a criatividade da nossa existência. Da existência de tudo afinal. Quando nos apercebemos daquilo que uma coisa é, esta já não o é da mesma forma. Ou somos nós que olhamos para ela de outra maneira. Esta é então a razão pela qual esta música se recria e se transforma a cada momento e nunca se repete.
.
Com raízes na tradição jazzística e fortemente ligada à improvisação livre e experimental, os sons que daí resultam fazem parte de uma história musical impermanente e em constante evolução. A trompetista, improvisadora e compositora Susana Santos Silva, já um nome de referência do jazz contemporâneo e música improvisada dentro e fora de Portugal, reúne neste projecto João Pedro Brandão, Hugo Raro e Marcos Cavaleiro (músicos do Porto e seus colaboradores de longa data, todos parte da Associação Porta-Jazz) Torbjörn Zetterberg, contrabaixista sueco com quem tem trabalhado assiduamente nos últimos quatro anos, particularmente no seu projecto em duo e Ana Carvalho, artista multimédia, que irá realizar video em tempo real.
.
28 Julho 
19:00; 22:00
Quarteto de Vasco Agostinho
.
Vasco Agostinho
.
Rui Teixeira – Saxofones
Vasco Agostinho – Guitarra
José Carlos Barbosa – Contrabaixo
Marcos Cavaleiro – Bateria
.
A música, sobretudo a improvisada, reflecte a essência dos próprios músicos que a interpretam. Para isso contribuem fatores por vezes tão subtis como aqueles que originam os próprios sonhos, que apesar de tantas vezes distantes da razão, são sempre o perfeito reflexo dum estado d’alma.
.
A música deste grupo pretende despertar em todos os intervenientes um conjunto de sensações que estão para além da razão e da consciência transformando-se assim numa experiência única para cada ouvinte.
.
.
*5€ Normal/ 3€ Membros\
(Doação sugerida: https://portajazz.com/about/membros/
Quotas válidas por 1 ano: Membro amigo 40 eur; Membro músico/estudante 25 eur)
.
portajazz.com

Anúncios